jusbrasil.com.br
12 de Agosto de 2022
    Adicione tópicos

    Audiência sobre abertura de novos vôos no Santos Dumont termina sem consenso

    Agência Brasil
    Publicado por Agência Brasil
    há 14 anos

    Rio de Janeiro - Mais uma vez, terminou sem consenso a audiência pública realizada pela Agencia Nacional de Aviacao Civil (Anac) sobre a abertura do Aeroporto Santos Dumont, no centro do Rio, para mais vôos além da ponte aérea. O governo estadual e associações de moradores da região bateram o pé contra a proposta da Anac.

    Os representantes do governo estadual e das associações de moradores alegaram que a autorização para novos vôos levaria ao aumento de ruídos e prejuízos ao turismo.

    O secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Júlio Bueno, disse que a mudança prejudicará o Aeroporto Internacional Galeão/Antonio Carlos Jobim, que está em vias de ser vendido pelo governo, com a perda de 40% do vôos.

    Já a Anac ressaltou que as restrições, impostas antes de sua criação, atrapalham a concorrência entre as empresas. “Não é uma restrição operacional ou técnica, é política e econômica”, afirmou um dos diretores, Marcelo Guaranys. Segundo a Anac, o Santos Dumont pode ter até 23 partidas ou decolagens por hora ( slots ), mas opera com cerca de 15.

    As companhias aéreas divergem sobre possíveis mudanças no terminal. A TAM Linhas Aéreas fala em mais custos, com a necessidade de se modificar toda a malha aérea, que já tinha sido alterada com a suspensão de vôos domésticos do terminal, feita pelo antigo Departamento de Aviação Civil (DAC), há cerca de quatro anos.

    A Azul Linha Aéreas Brasileiras,mais nova companhia aérea no mercado, é a favor da abertura. Acompanhado de cerca de 60 funcionários na audiência, o presidente da empresa, Pedro Janot, disse que a localização central do Santos Dumont favorece os passageiros: "Não há uma defesa técnica que justifique posicionamentos contrários à abertura do aeroporto. Só jogo político.”

    De acordo com Janot, com o fim das restrições, mais vôos diretos para as capitais brasileiras poderão ser oferecidos, atendendo, inclusive reivindicação de empresários. A Confederação Nacional do Comércio endossou a vantagem da localização do aeroporto e pediu a abertura de vôos diretos para Brasília, Vitória e Belo Horizonte.

    Essa é a segunda audiência promovida para colher sugestões sobre a abertura do Santos Dumont para novos vôos. Uma consulta pública na internet também recebeu contribuições. Ao todo, cerca de 100 sugestões devem ser analisadas pela Anac, que deve anunciar o futuro do terminal em cerca de um mês.

    “Vamos compilar essas informações, dos consumidores e das empresas em um relatório e levar à diretoria para votação”, informou Guaranys.

    Informações relacionadas

    Governo do Estado do Rio de Janeiro
    Notíciashá 14 anos

    Nova presidente da Feema, Ana Cristina Henney, toma posse amanhã

    Governo do Estado do Rio de Janeiro
    Notíciashá 14 anos

    Secretária dá posse à nova presidente da Feema

    0 Comentários

    Faça um comentário construtivo para esse documento.

    Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)