jusbrasil.com.br
17 de Outubro de 2017

CCJ da Câmara aprova projeto que proíbe venda de refrigerantes em escolas

Agência Brasil
Publicado por Agência Brasil
há 2 meses

Resultado de imagem para refrigerante escolas

Projeto de lei que proíbe a venda de refrigerantes nas escolas do ensino fundamental, do 1º ao 9º ano, foi aprovado hoje (8) pela Comissão de Constituição e de Justiça da Câmara (CCJ). O projeto está pronto para ser votado no plenário da Câmara e, se for aprovado, será encaminhado ao Senado para apreciação.

De autoria do deputado Fábio Ramalho (PMDB-MG), que é primeiro vice-presidente da Casa, recebeu parecer favorável do relator, Luiz Couto (PT-BA), e foi aprovado pelos membros da CCJ. De acordo com o relator, a proposta vem em bom momento, “tendo em vista os riscos relacionados ao excesso de consumo de bebidas açucaradas e o aumento dos casos de sobrepeso e de obesidade”. O relator afirmou que a lei que trata da alimentação escolar estabelece que a merenda deve seguir princípios de alimentação saudável e adequada.

Na justificativa do projeto, Fábio Ramalho afirma que obesidade infantil vem crescendo e, com ela, as preocupações dos pais em fazerem com que seus filhos percam peso e evitem danos à saúde. “Um dos grandes vilões da obesidade infantil é o consumo indiscriminado de alimentos de alto teor energético e pouco nutritivos. Estudos demonstram que uma das maiores fontes de gordura e açúcar na dieta infantil vem dos lanches escolares, que cada vez mais se reduzem a alimentos industrializados e pouco saudáveis, quando não nocivos à saúde,” diz.

Em outro trecho da justificativa, o deputado afirma que a obsedidade infantil vem acompanhada, em muitos casos, de múltiplas complicações como o diabetes, o aumento dos níveis de colesterol no sangue, a hipertensão arterial e outros problemas cardiovasculares. Segundo o texto, a obsesidade já atinge cerca de 10% das crianças brasileiras.

Edição: Amanda Cieglinski

27 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Qual dificuldade dos pais em dizer NÃO aos filhos? "ah, eles vão me desobedecer e beber refrigerante na escola", então o problema é você e sua falta de autoridade com seus filhos. Educar não é fácil, dá trabalho, exige paciência, dedicação e disciplina dos pais, mas é muito mais cômodo pedir que o Estado proíba venda de refrigerante, propaganda de brinquedos...

O grande vilão da obesidade infantil e do resto que faz mal às crianças é a negligência dos pais. Só isto. continuar lendo

Concordo 100% contigo! continuar lendo

Economizei um comentário hein!

Exatamente minha visão!

Os pais de hoje em dia querem ser amados as custas da perda do respeito.

Esse senhor explica muito bem os problemas da educação dada pelos pais de hoje.

https://youtu.be/VUeDiT-D1-E continuar lendo

O que vocês acham dessas propostas que tendem a fazer com que, cada vez mais, os pais não assumam responsabilidade pela educação dos filhos, fazendo com o que o Estado tenha a regulação de tudo. Em vez de primarem pela educação, que faria com que pais responsáveis criassem filhos responsáveis, tendem a ignorar a responsabilidade dos pais pela educação e transmitir o poder de regulação máxima de nossas vidas ao Estado.

Afinal, de onde que a criança recebe dinheiro para comprar seus lanches? De onde que ela recebe dinheiro para comprar suas coisas? Quem é o responsável por lhe dar dinheiro também não é o responsável por lhe instruir sobre o que se pode e o que não se pode fazer com aquele dinheiro?

Vejo o mesmo quando os pais hoje afirmam que os tablets são um grande problema, pois seus filhos aos 5 anos de idade já são viciados no tablet. Pois, que intrigante... a criança comprou o tablet sozinha? Aprendeu sozinha a mexer nele? Ou foi estimulada a usar do tablet para que desse momentos de alívio?

Acho tudo isso muito complicado, mas não entendo como dever do Estado de regular cada vez mais a vida das pessoas. continuar lendo

Eu estou em pleno acordo com esta medida em preservar a saúde nas escolas, refrigerante já deveria ser CRIME a Fabricação, pois 99% dos casos de doenças como o Diabete, anemia, problemas na visão, obesidade e muitas outras causas são pelo o uso de refrigerante nas mesas Familiar! O Dr. Lair Ribeiro professor de formação de Médicos em Cardiologia afirma que refrigerante é um VENENO e cada copo de refrigerante ingrido deveria tomar 32 copos de água da boa somente para eliminar as causas sobre cada copo de refrigerante....... www.lairribeiro.com Professor de Medicina em formação para novos Médicos em Cardiologia. Karina Diana Ferreira - RJ 09/08/2017. [ VÍDEO: https://www.youtube.com/watch?vdn9AjPiV87o&feature=yol O PERIGO DO REFRIGERANTE QUE ENTRA NA SUA CASA! continuar lendo

Isso mesmo, vamos entregar o controle de nossas vidas ao Estado, pois ele sabe o que é melhor para cada cidadão. continuar lendo

Crime é o Estado querer mandar na vida das pessoas. continuar lendo

Tá "serto", vamos proibir também bebidas alcoolicas, balas, chicletes, cigarro, bacon, embutidos, queijos amarelos, frituras, chocolates, sorvetes, biscoitos,...... continuar lendo

Se a venda é permitida fora da escola, por que deveria ser proibida dentro dela?
Ou proíbe a comercialização em todo o Estado, ou não. Quem deve decidir se seus filhos podem ou não comprar, são os próprios pais.
O dever do Estado é dar ensino e dos pais é a Educação. (cada um no seu quadrado) continuar lendo

Se não conseguem fazer ser crime a fabricação do cigarro e bebida alcoólica como iriam conseguir fazer isso com o refrigerante.
Esse discurso é muito bom na teoria, mas na prática é meio complicado, pois logo não teríamos nenhum poder de escolha, ou seja, isso logo se expandiria para sedentarismo, depois para música, livros, jogos, religião e crenças e então ops! nem pensar mais você poderia

Existem alguns lugares no mundo que são esse paraíso, mas incrivelmente ninguém quer ir morar lá, nem os que estão querendo transformar outros lugares nessas utopias.

Começa com lhe dizendo o que não fazer, depois passa para o que fazer, depois para o que não ter, depois para o que não pensar e finalmente para o que ser ou não ser.

Apoiar essas coisas é um caminho muito perigoso! continuar lendo

Cada um é responsável pelo que consome na sua casa. Agora, as escolas não são as casas das pessoas, as escolas têm de ensinar e ensinar a boa alimentação também !!!! Que cada criança seja envenenada em casa, pela sua família, que se danem. Que cada adolescente que quiser fazer lanche regado a refrigerante que o faça em sua casa. Não, a criança, o adolescente não têm discernimento pra optar, nem legalmente podem decidir nada. Então, que as escolas sejam obrigadas a fornecer lanches mais saudáveis, longe da mesmice calórica e cheia de gordura e açúcar. Quem não quiser, que passe no supermercado e leve as porcarias pra casa. continuar lendo

Errado @teresinhawinter , boas maneiras e boa alimentação é responsabilidade dos pais, até porque, o que eu acho maravilhoso e nutritivo, você pode achar horrível e sem saúde, mas e aí, qual será a preferencia da escola? Será necessário criar um calendário pelo governo de qual o limite de tolerância para açúcares, gorduras e tal?

Escola é onde se aprende a ler, escrever, fazer contas...

Será que já não temos governo demais na vida da gente? continuar lendo

Deveria sim negar tratamento gratuito para obesidade oriunda de má alimentação, cada um dá ao seu filho o que achar conveniente, mas quando a criança adquirir uma doença por ter comido e bebido aquilo que todos sabem ser prejudicial à saúde, que arquem com o tratamento do mesmo, afinal se teve dinheiro para dar ao filho para comprar guloseimas venenosas, que arquem com suas consequências, ao invés de correr com o filho para o posto médico, e ficar falando mal do sistema de saúde.
Caçou agora aguenta, ou então deixe morrer por falta de recurso, menos um para comer o que não plantou.
É muito fácil criticar o estado por querer prevenir que as crianças procurem doenças com as mãos, afinal o estado tem o dever de cuidar da saúde que cada um não cuidou, não é mesmo?
Iniciativa aplaudidíssima, se vai funcionar ou não são outros quinhentos. Pois afinal é para os postos de saúde pública que todos correm quando precisam de insulina, dinheiro para refrigerante tem, mas para tratar da saúde não porque afinal é o dever do estado, foi para isto que comprei o refrigerante, para pagar impostos para cuidar da saúde do meu filho.
Reflitam melhor antes de criticarem a medida. continuar lendo