jusbrasil.com.br
11 de Dezembro de 2017

Câmara aprova profissão de paralegal para não aprovados no exame da OAB

Agência Brasil
Publicado por Agência Brasil
há 3 anos

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara aprovou há pouco, em caráter terminativo, um projeto de lei (PL 5.749/13) que pode permitir que mais de 5 milhões de brasileiros, formados em direito mas que não foram aprovados no exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), exerçam algumas atividades que não são permitidas hoje. O texto cria a carreira dos paralegais, profissionais que poderão atuar na área jurídica sob responsabilidade de um advogado.

“O paralegal, em síntese, é alguém que, não sendo advogado, auxilia e assessora advogados, realizando funções paralelas e de grande importância para o sucesso do escritório de advocacia. Como é evidente, eles não podem exercer sozinhos atividades típicas de um advogado, como dar consultas ou assinar petições aos tribunais”, explicou o relator da matéria, Fabio Trad (PMDB-MT). A proposta ainda depende de aprovação no Senado.

Trad ainda lembrou que outros países, como os Estados Unidos, já adotam esse tipo de medida. Para os deputados da CCJ, houve consenso de que as restrições criadas pela falta de registro da OAB cria um "limbo injusto” para as pessoas que se formaram em direito e não passaram no chamado Exame de Ordem.

A proposta, que agora segue para o Senado, prevê o exercício da nova profissão por três anos para quem já se formou ou ainda vai concluir o curso. A proposta original do deputado Sergio Zveiter (PSD-RJ) contemplava apenas as pessoas que concluíssem a faculdade a partir da publicação da lei e garantiria o exercício por dois anos.

Durante a discussão sobre a proposta, o colegiado decidiu que o prazo era curto e não solucionava o problema de milhares de pessoas que ficam impedidos de atuar pela falta de aprovação da entidade representativa dos advogados.

Esperidião Amin (PP-SC) optou por não votar, mas explicou que não é contrário à proposta. “Quem é contra o exame da Ordem não pode concordar com o apaziguamento desse limbo social que foi criado no Brasil. É um exame cartorial de interesse financeiros. Para não criar problemas, vou me abster, mas deixo claro que, no futuro, nós vamos enfrentar uma discussão verdadeira entre admitir ou não o Exame de Ordem”, explicou.

Fale com a Ouvidoria

343 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Meu repúdio a essa lei.
Estudei 5 anos e fui aprovado no exame da ordem quando estava ingressando no 9º período, tive que aguardar o termino da grade curricular para poder dá entrada no pedido de registro na OAB.
Querem de toda forma acabar com o exame, pois tem muitos filhos de deputados e de pessoas que se dizem ¨poderosas¨ que até consegue comprar diploma, mais não compra a aprovação da OAB.
sou contra essa atrocidade que estão chamando de lei, e sou contra a todos que é contra o Exame da Ordem. Se eu passei, todos podem passar.
Acredito que a OAB não vai ficar calada diante de uma barbárie dessa, pois pega 5 milhões de brasileiros e dizem que eles não são capazes. continuar lendo

Anderson, não generalize assim.

O que é fácil para vc, pode não ser pra mim.

E outra, obvio que é mérito exclusivo seu, passar ou não. Mas, o exame da ordem, não é apenas uma prova com algumas questões, mexe com toda a sua vida, é muita expectativa e muita pressão. continuar lendo

Passar no exame da ordem não faz de ninguém um bom advogado. Só significa que a pessoa é um bom estudante, assim como passar em um concurso público não faz da pessoa um bom servidor.
O documento por excelência, aprovado pelo MEC, é o diploma. A Ordem se encaixa mais em um instituto cartorial político do que num órgão regulador da profissão. continuar lendo

Concordo com você em gênero, número e grau Anderson. continuar lendo

Eu também achei isso um absurdo. A OAB com certeza não vai se calar. Brasil, mais uma vez, na contramão da história. Deve ser apenas para beneficiar parente de político mesmo. Ridículo! continuar lendo

No DF a Polícia Federal achou uma prova para o OAB/DF, em branco, com nota 8,0.

Creio que responde a todas as dúvidas ou perguntas sobre a OAB e a prova para ser profissional.

Não tem ninguém na cadeia por aquilo. continuar lendo

Concordo com o Anderson... Acho isso um retrocesso, além de oficializar os "office boys de gravata", como vão acabar se tornando esses bacharéis... Acaba defasando a profissão e demonstra o quão significante é o exame de ordem, como medidor de potencial acadêmico, pois como já foi explanado aki, pode-se comprar diploma, mas não a aprovação na OAB. continuar lendo

Acredito que essa lei não veio para acabar com o exame, e parabéns para você que teve a sorte de conseguir, porque muitos não tiveram, e o fato de se passar no exame não quer dizer que é menos ou mais capaz, é tudo muito relativo meu caro.
Conheço pessoas que passaram no exame mas que não querem advogar porque não se sentem seguros, que raio de advogado é esse?
Muitos que passaram no exame se acham os tais, e menosprezam os que não tiveram a felicidade de passar, isso é arrogância, falta de respeito com o ser humano.
Essa lei só veio dar uma oportunidade, quem realmente estuda para o exame e não conseguiu, vai saber aproveitar essa oportunidade e com certeza, vai ter mais tranquilidade para estudar melhor e realizar a prova com mais calma, sabendo que pode ter pelo menos o início nessa lei do seu ganha pão de todo dia. continuar lendo

Concordo em partes, mas ler "mais" no lugar de "mas" e, "contra a todos que é" quando deveria ser "contra todos que são" mostra quão despreparados são alguns advogados e vou além, o quanto o exame não serve para selecionar os estudiosos, mas sim aquele que se prepara não apenas estudando, mas psicologicamente para enfrentar uma prova massante e injusta que é. continuar lendo

Acho interessante conversa de ADVOGADOS ou de fututros...Faz de exemplos de pessoas regras...Como será a vida de um estudante de Direito??? Será que ele é Pai ou Mãe de Alguém??? Ele trabalha o dia todo numa profissão que não tem nada haver com direito e depois vai para faculdade??? Ele cuida de casa, marido e esposa e ainda cuida de si???? É muito fácil olhar só o que uma pessoa faz, uma apenas...
Sou a favor do exame de ordem, poré, contra a corrupação nos exames e o modo de rios de dinheiro por ano que a Ordem arrecada. Por que é tudo tão caro??? Paga-se faculdade, livros, seminários, etc....e depois exame da Ordem...
Sinceramente, essa lei não é novidade, pois acredito que já ocorra assim. Me formo depois não passo na OAB e ai fico no escritório trabalahndo como boy de luxo até me formar. Qual a novidade??? Não consigo entender o repúdio a uma lei de uma pratic ajá existente. continuar lendo

Só no Brasil
ao invés de fecharem faculdades fajutas que formam elementos fajutos com titulo de doutor, criam formas de "encaixar" péssimos alunos.

Ora, se o exame da Ordem é exatamente para avaliar quem efetivamente conhece da matéria (Direito), como pode a câmara dar este passa moleque e sob qual alegação ?
Tá certo que em Portugal deram um titulo de "doutor honóris" pro Lula.
Mas isto é la em portugal.
Pô. continuar lendo

Sou formada em Ciências Sociais, obtive excelentes notas durante todo o curso e meu TCC foi com louvor.
Diante disso, acredito ser extremamente importante o exame da OAB.
Creio que, assim como no Direito, exames pós conclusão deveriam ser estendidos à todos os cursos superiores.
Tem muita faculdade que não "forma" coisa alguma. E concordo com você, Anderson Araújo, se existem muitos profissionais que passaram no exame, não vejo motivo para tal atitude pelos parlamentares.
Vivemos numa economia globalizada e sistema capitalista. Quem não tem competência, não se estabeleça. Ou mude de profissão. continuar lendo

Participando deste democrático debate que enriquece em muito o nosso conhecimento, é importante atentarmos para o fato de que acadêmicos são aprovados com razoável pontuação no exame da ordem, estando ainda, cursando o 9º semestre. De outro lado, temos bacharéis que chegam a prestar 5 exames e não alcançam a pontuação mínima para exercício da profissão.

Afinal de contas, essa disparidade entre aprovados e desaprovados é reflexo do certame da OAB ou da qualidade de nosso ensino superior?

Frequentar uma instituição de ensino superior por longos 05 anos é sem sombra de dúvidas um mérito indiscutível, mas, é de se considerar que mais importante ainda é deter conhecimento científico sobre o curso eleito, para que assim, se preste um exame com segurança e, exerça a profissão com a qualidade que a sociedade almeja.

O bom profissional ou profissional completo é perito e profundo conhecedor científico da área que milita, portanto, se mostra paradoxal a ideia de que um bacharel se veja com seus direitos cerceados quando submetido a um exame envolvendo 80 questões objetivas e, por forças ocultas não consigam acertar 50%.

Brasil, um país de todos! continuar lendo

O Ex Presidente Luis Ignácio da Silva, tem direito a carteira da OAB, sem nem mesmo ter um curso de Bel. em Direito pelo fato de receber da Universidade do Coimbra, o titulo de "honoris causa"; enquanto que, o diplomado em Direito no Brasil, fica restrito a partir desta lei, a ser office boy de luxo, isto é uma vergonha, fere princípios constitucionais e faz desta organização chamada OAB um "quarto poder" (imbatível), usurpando a competência do Estado. A OAB é quem manda e o governo atende.
Confira matéria abaixo:

Lula “honoris causa” pode advogar sem ter feito Faculdade de Direito. O Bacharel, Não!!!
Publicado em 25/08/2013

[...]

Lula e a Dilma participaram do cortejo. Todos sairam da Biblioteca Joanina em direção a Sala dos Capelos onde foi feita a Cerimonia do Doutoramento Honoris Causa do Luiz Inácio Lula da Silva.

O mais incrível que que mesmo sem ler um livro de direito o ex Presidente, condecorado em Portugal, pode agora ter seu registro na OAB e advogar no Brasil enquanto milhões de Bacharéis em Direito não podem ter este direito ao trabalho e dar sustento a sua família exercendo a profissão que escolheram.

A president (A) Dilma que se preocupou tando em defender o feminino do nome de seu cargo, tendo o poder e o dever em por um fim a esta situação, não é capaz de levantar um dedo por esta REGULAMENTAÇÃO de ATO PRIVATIVO DO PRESIDENTE DA REPÚBLICA (CF art. 84 inc. IV)– não sendo sequer objeto de delegação conforme ensina o art. 68 § 1º da CF – e permitir o constitucional DIREITO AO TRABALHO a esta vastidão de prejudicados que inclusive somam-se às suas famílias.

Referência: http://inaciovacchiano.com/2013/08/25/lula-honoris-causa-pode-advogar-sem-ter-feito-faculdade-de-direitoobacharel-nao-fimexameoab-examedeordeminconstitucional-cpidaoab/ continuar lendo

Concordo com você. Apesar de a prova ser injusta pelo nível de dificuldade, os bacharéis devem entender que existem mil outras carreiras que não necessitam de carreira, mas todas pedem um mínimo de conhecimento, e hoje o conhecimento é medido pelo Exame. Lembrando que outras profissões tomam o exame como exemplo para tentarem fazer a mesma coisa, nivelar pelo conhecimento técnico medido por exame, como os CREA e os CRM, dentre outros. É inadmissível um operador de direito, assim como um médico ou um engenheiro e assim por diante, não ter o olho clínico para um amontoado de questões de múltipla escolha. continuar lendo

Os filhos de poderoso não precisam estudar.

Eles compram o que quiser. São Juízes, Advogados, Delegados, etc...

Todos com jeitinho..
Está muito enganado Sr. Anderson.
Conheço 1 pessoa que diz ter comprado a 2ª fase da OAB. continuar lendo

Anderson tem toda razão, isto é um insulto para todos que durante anos estudaram e tentaram por diversas vezes ser aprovado no exame da ordem.
Não me espanta este tipo de "desvio" por pessoas que em sua maioria nem sequer chegaram até uma faculdade. Só falta agora criar o "bolsa exame da ordem".
Que vergonha!!! Um congresso que devia incentivar o estudo só desestimula. Era de se esperar quando vimos um presidente erguer seu diploma e declarar cheio de orgulho que não precisou estudar para chegar a presidente da república. (foi escrito em letra minúscula para dar o sentido devido). continuar lendo

Pois é Anderson, pelo que vc esta falando o erro não esta no despreparo do candidato a OAB e sim na estrutura educacional. Quando fiz direito na UERJ, a maioria do corpo docente era formado por juristas de primeira linha, entre eles Juízes, Desembargadores e Doutores, todos ligados a OAB, e nem por isso o ensino era de boa qualidade, mas de 2/3 da minha turma de formandos não passou na OAB por falta de conteúdo ministrado no Curso. Sou advogado graças a Deus e nem por isso aceito a OAB, acho um esquema mafiosos e injusto, cada dia mais elitizado, com fins políticos e financeiros... pq cobram cada dia mas caro pelas inscrições e pq as provas ficam cada vez mais difíceis?
Acredito que quando vc fez a prova a alguns anos atrás, era bem mais fácil do que é agora, não sejamos hipócritas! a minha foi bem mais simples... Andei dando uma olhada nessa ultima prova e confesso que se fizesse a prova agora, teria muita dificuldade...
Se passar na ORDEM é tão importante, que sejam mais justos, façam uma prova que realmente esteja no nível de um recém formado, acabam com esses CURSINHOS de propriedade de Ex-Juristas e coloquem o preço das inscrições do concurso dentro da realidade do que a maioria do povo brasileiro pode pagar.
SE FIZEREM ISSO, PASSO A ACREDITAR QUE REALMENTE A "OAB" ESTA PREOCUPADA COM A BOA FORMAÇÃO DE "SEUS" ADVOGADOS... continuar lendo

Olá Anderson,

Calma, porque tanta revolta.

Fazer o exame revolta, quem fez o exame e passou está revoltado, quem fez o exame e não passou, está revoltado.

Calma! A profissão de Advogado não é própria para pessoas revoltadas.

Em primeiro lugar, o exame tenta "suprir" a deficiência das instituições de ensino, porém, pune aqueles que de boa fé cursam uma Faculdade com, as vezes, grande sacrifício, não conseguem uma USP, pois têm que concorrer com pessoas mais abastadas, mesmo que sejam os pais, cursam o ensino básico de boa qualidade, fazem cursinhos, preparatórios e afins; dessa maneira tomam o lugar daqueles menos afortunados.Pois poderiam cursar faculdade de renome, e pagas. Claro que em uma democracia, existe a igualdade, a livre escolha; pena que nem sempre tão igual, as vezes até amoral.

Criaram a cota para negros, para deficientes e deveriam criar também a cota para Pobres, sendo assim mais justas, na vida do cidadão, nas diversas condições financeiras dos brasileiros, onde predominam, em números, os pobres, que raramente conseguem adentrar a USP.

O exame de suficiência da OAB, existe a guisa de "livrar o país dos maus advogados", na verdade uma grande mentira. Se realmente a intenção fosse a de ter somente advogados bem formados, capazes, a Ordem faria um movimento junto ao Governo para a MORALIZAÇÃO DO ENSINO NO BRASIL, desde os primeiros anos de alfabetização até a Faculdade; mas isso é uma utopia, não se pretende do povo brasileiros cidadãos aptos a votar e mudar o rumo do país.

Em outros países mais desenvolvidos as "grandes descobertas" nascem nos bancos das Faculdades. No Brasil o aluno "gênio", faz estágio fora do país porque, aqui, as verbas são minguadas. Excepcionalmente se forma no Brasil alguma sumidade em sua área, Raridade.

Sinta-se feliz, e exerça a Advocacia calcado em sua raízes, em seu prumo mestre, na Decência e na Justiça. O resto, para ser mudado, precisa ajudar os seus irmãos a aprenderem a votar. Jamais esqueça de Rui Barbosa: "de tanto ver....", sempre tão atual.

Somos parecidos em nossas conquistas.

Parabéns pela sua aprovação precoce! continuar lendo

Não li todos comentários abaixo, desde já respeito todos. Agora me decepciono com o Doutor Amim, pessoa que tem anos na vida política.

Eu pergunto, existe universidade ou faculdade para ADVOGADO? PARA JUIZ? PARA PROMOTOR? PARA DELEGADO?

Gente a formação é de bacharel em direito.

A FORMAÇÃO É CLARA.

Não vou ser demagogo em dizer vou ser Juiz, Promotor de Justiça, Delegado sem fazer um concurso.

Por favor nobres colegas, me desculpe se há erros em minhas palavras, ou se fui ignorante. Mas um bom estudante de direito sabe que ele vai ser bacharel em direito.

No dia em que o estudante de direito ao terminar sua graduação poder ser advogado, exija também que venha ser Juiz, Promotor de Justiça e Delegado.

Não quero ofender a ninguém, mas lembrem quando iniciaram o curso o que foi prometido quando fosse receber o seu diploma de graduação.

Quanto ao profissional paralegal, entendo como um assunto já resolvido pela OAB, que é a carteira de estagiário. Não tenho nada contra, e acredito que meu Presidente e o Presidente nacional da OAB não serão contra.

No mais, agradeço a atenção de todos.

Sandro Matias. continuar lendo

Olá.
Acredito que existam muitos bons e dedicados alunos que tenham terminado o curso, porém, não tenham conseguido passar neste exame. Essa lei irá possibilitar a estes alunos uma formação extra, a experiência tutorada de perto por um profissional da área. Não vejo o "passar no exame" de primeira como sendo uma coisa extraordinária. Acredito apenas que talvez o candidato seja um pouco mais tranquilo que outros, mas achar que é "o melhor" , é um tanto quanto arrogante. Humildade é bom em todos os momentos da vida. Parabéns pela sua vitória. continuar lendo

Só apoia essa lei quem não consegue passar no exame. continuar lendo

Particularmente, acho essa lei eleitoreira, mesmo porque, a própria OAB, autoriza o bacharel em direito, ainda não aprovado nos exames da classe, a exercerem a função de estagiários, inclusive com inscrição na Ordem, os quais, segundo o § 2º, do artigo da Lei 8.906/94 (Estatuto da Advocacia), podem praticar os atos previstos no artigo da referida Lei, na forma do Regulamento Geral, em conjunto com advogado e sob responsabilidade deste, cujo estágio terá duração de dois anos, a teor do artigo , cujo estagiário desde que, devidamente inscrito na OAB, pode praticar vários atos, como consulta de processos em cartório, retirada de autos com carga, etc.., desde que tenha procuração conjunta com o advogado ou escritório de advocacia em que esteja inscrito nessa condição. Portanto, verificando o próprio Estatuto da OAB, verifico que o Projeto de Lei 5.749/13, quer regulamentar aquilo que há muito já esta regulamentado. "ad absurdo". Será que o senado (em minusculo mesmo) não tem outra coisa mais importante para resolver, mesmo porque, o exame da Ordem decorre de Lei também aprovada pelo Senado Federal (em maísculo porque na época o senado era mais sério. continuar lendo

Concordo plenamente, colega Anderson Araújo. continuar lendo

Você é uma egoísta, só pensa em si. Garanto que não será nunca uma boa advogada, talvez mediana como tantos, pois só enxerga seu umbigo. Além de gostar de aparecer, não possui modéstia.
Eu conheço casos, já informei e provei a OAB e de nada adiantou, de pessoas que nem frequentaram a faculdade, possuem OAB e são jurista com publicações periódicas na Tribuna da Justiça.
Você está dando bom dia a cavalo DOUTORA. continuar lendo

Pena que o exame da OAB não seja mais rigoroso com a gramática. continuar lendo

Desculpe, Doutor. continuar lendo

Não podemos culpar os estudantes que optaram por faculdades de direito de baixo nível. São vítimas, sofrem, já que pagaram para não receber educação isso não fazem os que passaram no exame da ordem mais inteligentes.. Devemos ficar indignados com o MEC que não fiscaliza as instituições de ensino e não com a existência ou não do exame da ordem já que graças as pessoas, nesse caso, bacharéis em direito que nosso governo fica acomodado posto que ninguém cobra dele o certo pois fica satisfeito com as remendas e a falsa ilusão que o exame de ordem e a maioria dos concursos públicos que apenas exigem do candidato o resumo decorado dos cursinhos e não um saber jurídico. continuar lendo

Estudamos e ainda pensamos como ignorantes. continuar lendo

Situação complicada meu caro Anderson. Você diz que é contra... eu não sou. Sou contra aqueles que sequer sabem escrever e se colocam na posição de melhores que os outros. A capacidade não se mede por um exame e sim nas suas atitudes dentro e fora de sua profissão. Parabéns a você que alcançou a aprovação. Sugiro apenas que aperfeiçoe sua escrita pois creio que como profissional do direito você deve estar bem preparado. continuar lendo

Então voce concorda que deve comercializar seu diploma mesmo depois de formado,mesmo depois de ter se ralado estes 5 anos de que menciona, quer dizer que seu diploma não valeu, precisou comercializar seu diploma com a OAB, tem muito dinheiro e quer dar mais dinheiro ao trapaceiro... amigo a OAB é uma fabrica de dinheiro ou tu faz parte deste jogo...!!!!??? só porque tu ja veio contemplado com o exame da OAB não quer dizer que outros tenham que seguir esta sua ingenuidade em dizer: dei dinheiro a OAB e fui campeão... é por isso que nosso pais está no caus, todos mandam mas para o mal por conta de alguns ingenuos...não falamos em passar ou não no exame, falamos de injustiça, privar o direito de exerccio do JÁ FORMADO que por eles mesmos já garantido um certificado habilitando-os para tal... compreende?? não temos que decorar códigos, os antepassados ao exame da ordem não decoraram códigos e muitos grandes vultos da ciência jurídica, advogar é ter sabedoria e entender sem decorar códigos como estão fazendo com os profissionais... continuar lendo

Creio que esse exame nao qualifica, tem muita gente boa que nao consegue passar. Ter a carteira nao te faz um bom profissional, pois no mundo profissional existe a selecao natural, se e's um bom profissional se destaca, caso contrario, tem que mudar o foco. Veja bem, seus erros gramaticais nao te impediram de ser aprovado! Uma frase mal escrita, pode nao ter a devida interpretacao. Nao concordas? Sera' que esse exame e' tao eficaz assim? continuar lendo

Concordo totalmente com vc Anderson. É uma absurdo termos que nos deparar com esse tipo de lei, pois não é desse modo que se resolverão os problemas deste país. Se um grande número estudantes não são aprovados no exame da ordem, deve ser feita uma análise de todo o contexto que envolve este índice de reprovação, por exemplo, se as faculdades realmente apresentam uma boa grade curricular para a formação de um profissional e como se desenvolve o sistema de ensino dentro destas faculdades, ao invés disso vejo o MEC aprovando o funcionamento de instituições que claramente não possuem a menor estrutura física nem curricular, e onde os professorem fazem de tudo para manter o índice de aprovação simplesmente para que seu "patrão" não perca os PRECIOSOS alunos. Sei que o exame da Ordem tem pouco menos que 20 anos de obrigatoriedade e entendo a real necessidade dele, pois, ele vem pelo menos peneirar e selecionar os profissionais, já que hj os estudantes não passam por uma verdadeira seleção para ingressarem em uma universidade. Sendo assim acho uma pouca vergonha um projeto de lei como esse e pior sua aprovação, pois esse tipo de lei só serve para mascarar os reais índices de desqualificação dos profissionais e da educação de nosso país. continuar lendo

Se um semianalfabeto pode ser Presidente do Brasil porque um reprovado no exame da OAB não pode advogar? continuar lendo

Nenhum "exame" é razoável. Porque não um exame em cada ano concluído?

Onde está a razão para ter um exame depois de ...1 ... 2 ... 3 ... 5 anos?

É o mesmo descalabro. Se o exame existe então todas as faculdades estão sob desconfiança.

E o estado atual de coisas mostra que tem faculdade boa e ruim como tem profissional bom e ruim: os bons estão em atividades, os ruins nos Conselhos ... mas há exceções, em ambos os grupos ....

É por isto que tem um MEC e tem uma faculdade. Para ter um critério e ser aplicado.

Se foi aplicado, aceite e cumpra.

Formou-se, é profissional.

Se é bom ou mau, o mercado de trabalho vai dizer.

E é aqui que está o medo dos que querem as provas: a competição.

É o MERCADO que vai dizer quem é bom ou não, e não uma prova, que, como se viu na OAB/DF, só diz quem é corruPTo. Teve prova da OAB/DF com nota 8,0, e em BRANCO.

Não tem ninguém na cadeia por isto.

Indo mais longe, que tal pensar em eleger o Advogado-geral do município e o Juiz do Município, junto com a eleição do Chefe de Polícia do município?

Já pensou nos desdobramentos que teriam tais eleições?

E o que dizer sobre os cursos em EAD? A prova da OAB também vai ser em EAD? O que existe num curso de Direito que NÃO POSSA ser ministrado em EAD?

E o que dizer do para-legal?

Kurto & Groço: é o pacto de mediocridade.

Um para-legal não é um profissional, é um sujeito que não conseguiu ser um.

Azar do advogado que contratar um .... só porque é ... legal ....

Sou analista de sistemas e curso um pós-graduação em Direito Administrativo e Gestão Pública: posso ser um para-legal?

E consultor, posso ser .... ou .... poço cr?

Nem tudo que ocorre na política - e OAB e outros Conselhos Federais são POLÍTICA - fica visível com suas premissas e grupos de interesses privados e, agora, "públicos".

Há sempre uma notícia - não divulgada - por trás da notícia, e um fato não divulgado. continuar lendo

ok, estagiários formados, muda o nome, podem atuar por dois ou três anos e depois? se continuar sem passar no exame volta para o limbo?!
Eu penso que o exame é importante e discordo do Amin, e creio que em todas as profissões deveria ter um exame para declarar o profissional apto a exercer a profissão. O que devem rever são alguns pontos que eles esquecem, como a qualidade de ensino e o número de cursos de direito ofertados. E se o exame não está ok, cabe a OAB readequá-lo. Meu ponto de vista. continuar lendo

Todas as faculdades? Com certeza não. Tem que ter dezenas de milhares de cursos para se adequar a cada tipo de profissão fora que umas surgem outras somem, há setores mais dinâmicos outros nem tantos. Não dá pra generalizar. continuar lendo

Nenhum "exame" é razoável. Porque não um exame em cada ano concluído? Onde está a razão para ter um exame depois de ...1 ... 2 ... 3 ... 5 anos? É o mesmo descalabro. Se o exame existe então todas as faculdades estão sob desconfiança. E o estado atual de coisas mostra que tem faculdade boa e ruim como tem profissional bom e ruim: os bons estão em atividades, os ruins nos Conselhos ... mas há exceções, em ambos os grupos ....

É por isto que um MEC e tem uma faculdade. Para ter um critério e ser aplicado.
Se foi aplicado, aceite e cumpra.
Formou-se, é profissional.
Se é bom ou mau, o mercado de trabalho vai dizer.
E é aqui que está o medo dos que querem as provas: a competição.
É o MERCADO que vai dizer quem é bom ou não, e não uma prova, que, como se viu na OAB/DF, só diz quem é corruPTo. Teve prova da OAB/DF com nota 8,0, e em BRANCO.

Não tem ninguém na cadeia por isto.

Indo mais longe, que tal pensar em eleger o Advogado-geral do município e o Juiz do Município, junto com a eleição do Chefe de Polícia do município?

Já pensou nos desdobramentos que teriam tais eleições?

E o que dizer sobre os cursos em EAD? A prova da OAB também vai ser em EAD? continuar lendo

Olá Sandra! Para mim o que não está adequado é a qualidade dos cursos ministrados pelo Brasil afora e a OAB nada pode fazer quanto a este fato. Lado outro, o exame da ordem é feito para reprovar e não para aferir capacidade profissional de recém-formados, até por que, capacidade profissional se adquire com o tempo de exercício da profissão. Ninguém pode se declarar capaz só por que conseguiu passar no exame da ordem. O tempo, o mercado e os acertos e desacertos do profissional no diaadia forense é que vão dizer se este profissional que passou num exame anos atrás, hoje, é um bom profissional da advocacia. O mesmo vale para qualquer outro tipo profissional, seja médico, dentista ou qualquer coisa. Lembro do grande profissional de medicina que realizou o primeiro transplante de coração no mundo, o Dr. Cristian Bernard, médico sul-africano. Você acha que no dia em que ele se graduou estava apto a realizar aquele grande feito para a época? podia naquele momento da sua formatura ser considerado um profissional plenamente capacitado para o exercício da medicina? Claro que não. A capacidade veio com o tempo e trabalho árduo. Sou totalmente contra o exame. Passei logo na primeira vez. Advogo desde 1997 e até hoje não me atrevo a dizer que sou "o profissional do direito". Digo-lhe que sou esforçado e continuo estudando muito. continuar lendo

Ficar em cima do "muro" em época de eleição ajuda não perder votos. Para mim perde votos quem votou nesta lei e quem ficou em cima do "muro".
Legislativo, Judiciário e Executivo cheio de "pilatos". continuar lendo

Edvaldo Sacramento, concordo com tudo que você escreveu, inclusive aproveito o ensejo para reforçar que o correto seria a implantação pela OAB da PRÁTICA JURÍDICA,, como ocorre com os estudantes de MEDICINA que são submetidos a RESIDÊNCIA MÉDICA, isto sim deveria ser imposto para aqueles que realmente queiram seguir a carreira de advogado..

O que aprendi devo ao estágio na INFRAERO, pois a Supervisora do meu Estágio exigiu desde o primeiro dia a leitura tanto das iniciais, como a contestação, para entender melhor o que estava pedindo o autor e o que de fato estava sendo rechaçado pelo réu, inclusive, buscando entender a partir da leitura das leis e artigos os motivos dos pedidos e o que poderia afastá-los, em suma, uma verdadeira PRÁTICA JURÍDICA. Era exigido também atenção nas audiências, tanto inicial como de instrução.

Digo: Isto ajudou muito na realização da prova da OAB, que não é este bicho papão que começam a desenhar ainda no 6.º ou 7.º período, inclusive, acredito que é isto que prejudica na hora de realizar a prova, é pressão um ano e meio antes da sua realização, o nervosismo é que reprova a maioria dos candidatos, que tem o psicológico "detonado" bem antes da realização da prova da Ordem, comparo a candidatos que tentam conseguir retirar a Carteira de Habilitação mais não conseguem por causa do nervosismo. continuar lendo

Não esqueçam que dentro em breve teremos o Sistema de Cotas para afrodescendentes passarem na prova da OAB. Aí vocês sentirão como é sofrido ter que tirar nota 9,5 e para os afrodescendentes é suficiente a nota 5. A MERITOCRACIA foi jogada no lixo. continuar lendo

Parabéns Michel Antonio Claudino Silva, Seu comentário esta perfeito!
O que a OAB precisa fazer é justamente a PRÁTICA JURÍDICA como o que acontece com os estudantes de MEDICINA submetidos a RESIDÊNCIA MÉDICA. Mas sabe porque não fazem isso??? Eu respondo: Pq o interesse da OAB não é aprovar e sim diminuir a concorrência no mercado de trabalho e arrecadar cada vez mais dinheiro dinheiro... Cabe salientar ainda que a OAB beneficia a Máfia dos CURSINHOS, que na maioria dos casos tem como proprietários e sócios muitos Juízes, Desembargadores e Professores universitários que dentro da própria universidade fazem a propaganda de CURSOS PREPARATÓRIOS... Quando deveriam se preocupar em nos ensinar... continuar lendo

Infelizmente é assim.. O Brasil em vez de evoluir, sempre se adaptando à falta de esforço daqueles que não querem estudar para se qualificar. Já temos várias faculdades de direito que têm seus cursos considerados como ruins, ai vão por fim ao Exame da Ordem que selecionava um pouco melhor a qualidade dos profissionais. Vai virar um caos. Isso é lamentável. continuar lendo

Mariana. Nem no curso de medicina tem essa "provinha", por que deveria ter no curso de direito:)] continuar lendo

Ires Gelain... medicina também deveria ter uma prova assim como o exame de ordem. continuar lendo

Ires Gelain, acredito que não devo pautar as minhas atitudes e decisões no erro dos outros. Quanto a medicina, acredito que deveria existir uma prova para estes profissionais, a posição da OAB é a correta e o CRM devia seguir isso. continuar lendo

Estudar 5 (cinco) anos pra isso! Auxiliar de Advogado, nunca. continuar lendo

Menos orgulho e mais dedicação. continuar lendo

Leiam esse texto, confeccionado pelo ilustre Lênio Strek que exterioriza com clareza o sentimento de grande parte das pessoas que são contras o projeto de lei em discussão. Titulado como a vanguarda do atraso, esse texto demonstra claramente a adoção do típico jeitinho brasileiro para acomodar aqueles que não conseguem passar no tão comentado filtro da OAB.

http://blog.portalexamedeordem.com.br/blog/2014/08/vanguarda-do-atraso-nao-passa-no-exame-da-oabevira-advogado-pigmeu/ continuar lendo